Engenharia Física ?

O Curso de Engenharia Física da UFSCar

Grupos de Conhecimentos 

Grade Curricular

Informações    Acadêmicas

Algumas Publicações sobre o Curso de Engenharia Física da UFSCar

Alunos que estão cursando Engenharia Física

 

 

 

 

 

 

 

 

Engenharia Física?

Comentários Iniciais

O curso de Engenharia Física já existe, com esse nome, há algumas décadas em muitas das mais renomadas universidades dos países do hemisfério norte, como Cornell, Berkeley, Stanford, Moscou e Grenoble. Na América Latina, entretanto, este curso ainda não está disponível. Assim, estamos propondo criar um curso pioneiro no âmbito continental que, sem dúvidas, trará enormes benefícios para o nosso Departamento de Física e para a própria UFSCar. Mas, sem lugar a dúvidas, o beneficiário final será o próprio Brasil, pois estaremos formando engenheiros altamente capacitados e atualizados, que serão capazes de enfrentar o enorme desafio científico e tecnológico que, com toda certeza, nos depara o novo milênio.

Mas, em que consiste e quais são as características do engenheiro físico?  

Este profissional terá uma forte base nas ciências matemáticas e físicas, característica que hoje nenhum outro curso de engenharia oferece. Mas, esta formação básica, que consideramos essencial para o seu sucesso profissional, nunca perderá de vista o seu lado aplicado, e sempre levará em conta que a principal característica do engenheiro é justamente a criatividade. Assim, o objetivo do curso de Engenharia Física será dar ao estudante as ferramentas básicas para se tornar um multiespecialista com ampla preparação nas áreas de aplicação da Física moderna, que o capacitará a trabalhar em áreas como desenvolvimento, instrumentação, criogenia, e ciências dos materiais. Neste último aspecto, o curso de Engenharia Física não terá superposição com o curso de Engenharia de Materiais, mas o complementará já que o primeiro abordará os aspectos mais básicos da ciência dos materiais, envolvendo sofisticados conceitos das mecânicas quântica e estatística, e da Física do estado sólido. Desta maneira, o engenheiro físico será um tipo de profissional que hoje não existe no nosso meio, sendo caracterizado por uma sólida preparação técnica e científica nas diferentes áreas da Física que será complementada por uma intensiva atividade laboratorial e um amplo contato com indústrias.

Qual é, especificamente, o campo de trabalho do engenheiro físico?  

O programa proposto para o curso de Engenharia Física está dirigido ao estudo dos fenômenos físicos nos quais se baseiam a maioria das aplicações tecnológicas, usando as ferramentas físicas e matemáticas necessárias para sua compreensão. Assim, estas ênfases em Matemática e Física combinadas com a experiência direta dos alunos com computadores modernos, eletrônica avançada, optoeletrônica, criogenia, vácuo, interfaceamento de equipamentos, etc., fornecerão, como veremos a seguir, uma excelente preparação para um campo de trabalho extremamente amplo. Sem dúvidas que o programa que estamos propondo é um desafio para todos nós, e principalmente para o estudante que enfrentará um conteúdo planificado para expandir a sua mente. O curso de Engenharia Física está direcionado a alunos com uma forte aptidão para ciências e matemática, e que desejem aplicar esses assuntos básicos na investigação e na resolução de problemas tecnológicos, deixando de lado a histórica divisão entre as disciplinas, e atacando o problema proposto através do uso de uma estratégia multidisciplinar, fazendo proveito da sua formação de multiespecialista.

Por exemplo, engenheiros físicos são encontrados trabalhando em eletrônica do estado sólido, no aumento da miniaturização de componentes. A revolução na microeletrônica tem mudado drasticamente o nosso mundo, onde quase diariamente o custo dos componentes diminui e a potência das máquinas aumenta. Assim, engenheiros físicos estão envolvidos no projeto e implementação de novos elementos em eletrônica do estado sólido, utilizados no desenvolvimento de sondas para a exploração e diagnóstico em diversas áreas. Engenheiros físicos desenvolvem espelhos e células solares, novas técnicas de transmissão de informação e dispositivos utilizados em Física de plasma para a obtenção de fusão termonuclear controlada. Também, estão diretamente relacionados com projetos de desenvolvimento em indústrias química e petroquímica, projetando e testando novos produtos, ou desenvolvendo sofisticados dispositivos que utilizam a ciência e a tecnologia das cerâmicas supercondutoras de alta temperatura crítica. Da mesma maneira, engenheiros físicos desenvolvem a utilização de laser em ciência, tecnologia e medicina, através de projetos de instrumentação ótica, ou desenvolvem projetos ligados a técnicas de imagem aplicadas a medicina e a biotecnologia.

Assim, estamos certos de que em muitos lugares, na universidade ou na indústria, onde sejam desenvolvidos projetos de ciência e de tecnologia avançada, haverá um engenheiro físico participando ativamente de todo o processo. Por exemplo, há engenheiros físicos trabalhando em: NASA, Amoco Analog Devices, Corning Glass, Digital Equipment Corporation, General Electric, Hewlett Packard, Honda, Hughes Space Sensors, IBM, Intel, Lockheed Martin, Motorola, National Semiconductor, NCR, Northern Telecom, Shell, Singer, Tektronix, Lucent Technologies, etc. Também, engenheiros físicos exercem funções de docentes/pesquisadores em centros como: California Institute of Technology, Jet Propulsion Laboratory, Johns Hopkins Applied Physics Lab., MIT Lincoln Labs., Naval Research Labs., Stanford University, University of California, University of Chicago, U.S. Congress, University of Michigan, etc. 

No Brasil, o Engenheiro Físico poderia trabalhar em todas aquelas instituições com ensino e/ou pesquisa, e em empresas com pesquisa e/ou desenvolvimento. Também, acreditamos que este profissional seja muito bem aceito em empresas como 3M, Caterpillar, AMP, Bosch, Embraer, Degussa, IBM, Itautec, Monsanto, Monroe, Motorola, Pirelli, Telebrás, Rhodia, Shell, Engemasa, Opto, etc.. O físico que nós formamos hoje, é um profissional que tem uma boa preparação, porém, ele tem um campo de trabalho extremamente restrito, onde o ensino e a pesquisa na universidade são praticamente as suas únicas alternativas. Ele não têm formação de engenheiro, e portanto, não pode trabalhar como tal. O curso que agora estamos propondo criar dará aos nossos físicos, não somente essa formação de engenheiro, mas também a sua visão característica de resolver problemas associados com alta tecnologia. 

voltar

Comissão Responsável:
- Prof. Dr. Fernando M. Araújo Moreira, Chefe do DF/UFSCar (Presidente da Comissão).
- Prof. Dr. José Marques Póvoa, Coordenador do curso  Engenharia Física, DF/UFSCar.